with 9 Comentários

De todos os gabinetes, o do tipo “Line Array” sempre foi o que mais me fascinou. Abaixo, coloco suas principais virtudes para que seja possível entender o que eu busquei ao fazer esta caixa, que tinha como desafio principal ocupar o lugar de destaque em minha sala. Quando se monta uma caixinha destas, tem-se os seguintes objetivos:

  • Alta sensibilidade (por baixo 97db);
  • Alta potência (a minha teoricamente suporta 400w RMS por caixa);
  • Curva praticamente plana de impedância;
  • Ausência de distorção, afinal o sinal é distribuido ao longo da linha com 12 drivers no meu caso;
  • Curva de resposta excelente, pois a curva será a media das variações de cada driver;

Mas o mais fascinante consiste em obter dependendo do tamanho da linha versus a distância do ouvinte, uma recepção do som do tipo NearField. Isso na prática oferece um som como onda Cilíndrica (se imagine dentro de um garrafão) e não esférica como é o caso de caixas convencionais e este detalhe traz alguns benefícios super interessantes, que basicamente são:

  • Ausência das reflexões primárias;
  • Maior resolução;
  • Decaimento de 3dBs por oitava por dobro de distância e não 6dBs como em uma caixa convencional;
  • Altissima dinâmica (ouvir musica clássica costuma ser algo espantoso).
  • Etc..etc..
Notem que detalhes como estes transformam, por exemplo, um palco sonoro em algo impossível de se ter em um caixa convencional. Tanto em largura como em profundidade e altura.
  • Material: MDF
  • Expessura: 3 cm com excessão das laterais que foram de 2,1cm
  • Altura: 1,90m
  • Largura: 18cm
  • Profundidade: 42cm
  • Base: 36 x 42cm
  • Peso: 55kg por unidade

Um gabinete deste tipo, tem uma tendência natural de reforçar os extremos. Na teoria, você escutará em maior intensidade a parte superior e inferior da caixa e o seu centro mais baixo. Para resolver isso, existe alguns arranjos (power tapering) de ligações Série/Paralelo para que possa ser tratado, isso pode ainda ser usado para se obter sensibilidade e impedância final de acordo com cada necessidade.

Uma curiosidade interessante deste tipo de caixa, é que o corte do crossover não é feito tendo as curvas dos falantes como referências e sim a distância Centro-a-Centro deles. A razão é evitar que haja cancelamento, os temíveis “comb-lines” que geram picos e vales bem acentuados. Logo, quanto menor o driver (usei de 4 “), melhor, pois uma linha com drivers de 6” teria que ser cortado abaixo de 2.000 o que seria uma tarefa super complicada para a maioria dos tweeters.
E é por isso também, que muitas linhas quando não conseguem vencer esta limitação, se fazem valer de pesados equalizadores, o que não seria aconselhável neste meu caso.. ou uma linha de Ribbon puro, que definitivamente seria o ideal, pois além de oferecer as qualidades que apenas um Ribbon pode oferecer, de quebra apresenta NearField também nas altas frequências. 🙂
LAF – Line Array Fidelity

9 Responses

  1. Luís Fernando
    | Responder

    Estou espantado com a qualidade dos projetos bem como o esmero com o qual é elaborado. No entando eu gostaria de saber um pouco mais, pois eu estava procurando na net um sub com qualidade e baixa frequência ( entre 15 e 25Hz), acabei axando, no entanto o preço foi fora dos padrões, além do que o FAE, como você disse, foi péssimo ( resp da esp. JAMAIS).<BR/>Desta forma, acabei posteriormente por

  2. Eduleite
    | Responder

    Achei o projeto muito elegante e me dei conta do efeito garrafão. Quais os drivers usados?<BR/><BR/>Abs<BR/>Eduardo

  3. Rafael
    | Responder

    muito bacana o projeto, no texto diz que cai 3db por oitava em relação à distância, acho que confundiu com crossover, a intensidade sonora cai 3db a cada dobro de distância(sem o termo oitava que se refere a frequencia).

  4. GLEIDSON
    | Responder

    Quais e onde posso encontrar os drives da libe array. Gleidsom@gmail.com

  5. Gabriel Coelho
    | Responder

    O que acha do 3,5w508 nessa caixa<br /><br />Parametros na 6ª página deste PDF: http://www.jblselenium.com.br/marcas/upload/417e9e6b1582aa7285e74d3de96e0161.pdf<br /><br />Com as dimensões externas dele posso montar com 93mm de centro – a – centro, qual seria a frequencia de corte para o TW?

  6. Renato - DiyAudio
    | Responder

    Você vai ganhar pela flexibilidade das altas, mas e os graves?<br /><br />93mm equivale a uma onda no tamanho de 3.700hz o que lhe taria muita facilidade em casar com algum tweeter.

  7. ricdrum007
    | Responder

    Esta caixa é um espetáculo,meus parabéns…É com base nela que me deu uma vontade louca de fazer uma pra mim tambem…Pretendo usar 12 alto falantes de 3 1/4 (83mm)por caixa,porém,nao tenho seus parametros e nao sei como calcular este tipo de caixa…Quais seriam as medidas (internas) da caixa para meus falantes?Abraço…

  8. […] Em sua primeira versão, usei mids da Bravox e foi tudo documentado nesse post aqui: http://audiokit.com.br/das/?p=393 […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *