DAD BassVIX – Um monstro em LT com 1 de 15”

with 13 Comentários

bassvix

Quando eu menos espero sempre aparece alguém propondo um tipo de loucura, como essa é a parte divertida da coisa, quem sou eu para negar. Abaixo eu narro uma aventura curiosa no desenvolvimento de um subwoofer verdadeiramente grande para ocupar uma sala dedicada, que seja bastante musical e que desça sem piedade nas profundezas dos subgraves…

O alto-falante – QUESTO AUDIO de 15” ( http://www.questoaudio.com.br/ ) que já foi tema de um post meu aqui http://audiokit.com.br/das/?p=62

535080_296137960470467_1533489544_n 581159_298422796908650_1322695679_n  551605_296138153803781_151709911_n DSC_2167 550738_296138237137106_252615218_n 541294_296138263803770_1496139933_n 574999_296138300470433_550254571_n

O amplificador – Bash Audio de 500W, um amplificador justo com uma performance absurdamente boa frente ao que custa http://www.parts-express.com/pe/showdetl.cfm?partnumber=300-752 aliás, como é revoltante ver produtos assim custando o que custam lá. Brasil complicado esse!

904542_434926759924919_1187628210_o DSC_1860 DSC_1861 

A divertida ideia – Fazer um subwoofer em Linha de Transmissão sem limite de tamanho ou peso e com capacidade de descer abaixo dos 20hz
A montagem foi tranquila, usei MDF de 18mm com a frente e as laterais “dobradas”, ou seja total em 36mm. O lugar que tem mais impacto interno é imediatamente atrás do alto-falante e por isso aquela divisória que é travada pelos próprias laterais e reforçada com um elemento vazado, que entre outras coisas segura o fundo.
As laterais também ficaram bem “estanques” pois a maior área útil tem por volta de 22cm, muito pequeno para vibrar em uma chapa de 18mm e como o subwoofer bate brincando os 110kg, o peso faz o resto.

moises DSC_1888 DSC_1929 DSC_2154 DSC_2157 548944_434926659924929_463128377_n 903298_434926746591587_715352038_o

Os ajustes – É o trabalho mais chato,  ter que abrir e ajustar todo o preenchimento até chegar no ponto. O deslocamento de ar é tão assustador, que o MDF de 18mm com alguns parafusos apenas nas laterais chega a envergar no centro e eu não posso fixar em definitivo para justamente poder regular. Para testes mais pesados,  precisei colocar sargentos por todo o gabinete para dar uma aliviada. INSANIDADE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Levar ele da sala para o quintal e lá começar uma maratona de tira tampa, regular linha, fechar tampa e medir tudo novamente, brincando umas 30 vezes.
A coisa boa é poder ver na prática um monte de coisas legais. Incrível como 10% a mais pode fazer tanta diferença,  como podem ver, a curva de impedância varia de uma caixa bassreflex, passa por uma selada e encontrar o acoplamento da LT é definitivamente um trabalho árduo. Na teoria, quando encontrar a curva passa a ser praticamente plana, mudanças sutis ao longo da linha tem uma força animal no resultado e isso me deixou particularmente impressionando nesse projeto.
Ao final,  cheguei na direção correta pois consegui uma variação de apenas 4dBs no pico e isso já é muito show. (Já catei a tudo aqui e acho que perdi o arquivo com a medição final da impedância, mas reparem que a linha preta do gráfico já estava em algo muito legal)..
Os “lixos” das curvas são proveniente do tampo ainda sem estar vedado e algumas pequena anomalias próximo ao alto-falante e ainda o ruído externo que por ser no quintal, complicou bastante.
Reparem que a curva de resposta desce forte em 20hz, abaixo disso não tenho como medir, mas tudo leva a crer que ele vai brincando em 15hz o que é um feito  tanto, para qualquer caixa, independente do valor ou grife.

198359_441777485906513_211556155_n 320760_441777472573181_1607512990_n 892491_441777482573180_20143539_o DSC_2430 DSC_2434

A roupa de gala –  Um consideração importante é que EU NÂO SOU MARCENEIRO e por conta disso, sempre tento facilitar o meu lado para evitar surpresas desagradáveis.
Por exemplo, sempre uso laminado pre-composto que é uma espécie de compensado dos laminados, ele é feito/prensado artificialmente a partir de restos e retalhos de lâminas naturais a vantagem que é uma folha muito homogênea e livre das imperfeições naturais que toda árvore impõe nos laminados convencionais e hoje já existe uma variedade bem grande de padrões disponíveis
Só que esse subwoofer deveria usar Peroba Mica, um tipo natural de lâmina, lindíssima por sinal mas que não deixa de ser uma árvore em fatias, com todas as suas imperfeições e isso é especialmente dramático quandos e tem algo tão grande como esse brinquedinho.
Mas ao final, ficou muito bom a laminação e isso é um trabalho louco inclusive para “Marceneiros dos bons de verdade” e fiquei muito feliz com o resultado.

DSC_2835DSC_2840DSC_2843DSC_2844

A tela e os spikes – Pelo tamanho e para dar uma melhorada no lay-out, achei por bem fazer uma tela que deu um trabalho bem grande mas que ao final, compensou e muito.

DSC_2897 DSC_2901 DSC_2902 1048758_470656089685319_2087823871_o1064248_470656093018652_362286024_o
O grande final – Tudo é tão complicado por conta do tamanho, que até fotografar não é algo dos mais triviais e por isso, assim que receber fotos dele já no ambiente atualizo aqui.
DSC_2906
 O peso, a coluna e a idade – Esse deve ser provavelmente meu último projeto de monstros como esse, ficou claro que o meu motor 4.3 anda pedindo arrego… perna, coluna, braços e tudo que for,  reclamou pacas e como tenho compromisso com 2 outros eu vou é tentar sair de fininho. rs
 
DSC_3149DSC_3151 

Espero que traga grandes audições em seu magnífico novo lar!!!!

13 Respostas

  1. Unknown
    | Responder

    Mais um belo trabalho, digno de quem é apaixonado pelo o que faz.<br /><br />Parabéns pela dedicação e também por compartilhar conosco todo esse desenvolvimento.

  2. Unknown
    | Responder

    Renato, como já disse em outros locais, o bicho tá tocando muito na sala.

  3. alvarenga lucas
    | Responder

    fala serio projeto maravilhoso rsss, sinto uma bela inveja de você por poder escutar esses magnificas obras.

    • Renato LS
      | Responder

      De certa forma, foi por isso que comecei a fazer.. 🙂 😀

  4. Andreas Steinmeier
    | Responder

    Prezado Renato,<br /><br />Parabéns por mais uma obra magnífica! Ficou lindo e deve ser um festival para os sentidos.<br />Até hoje meu sonho é um dia construir um DAD Big Bass, com 2x 12&quot; da NAR, cujo projeto você &quot;filantropicamente&quot; compartilhou.<br />Fiquei curioso agora: como você compara esta sua nova criação com o Big-Bass, em termos de performance?<br />Agora estou mais

    • Renato LS
      | Responder

      Esse é um tema curioso… eu tinha em mente abrir esse projeto na integra, mas ele ficou muito mais complexo do que eu poderia imaginar e tenho medo de que sem as ferramentas adequadas não consigam reproduzir o que eu consegui…<br /><br />Mas ainda estou pensado sobre isso tudo! 🙂

    • Esley
      | Responder

      poxa, lhe agradeceria muito se você postasse tudo sobre esse projeto, eu também estou interessado, estou me desfazendo dos itens do meu som atual pra montar um novo, e gostei bastante desse seu projeto. =)

    • Renato LS
      | Responder

      Olhe no site outros projetos, como do majestoso e gigante TOR ou BIG BASS

  5. Caio Saron Freitas
    | Responder

    Renato, tem previsão para finalizar o projeto da LT de 2 x 10 Questo que você comentou no htforum ? Queria muito replicar essa belezinha de 15, mas você mesmo disse que não sabe se vai abrir este projeto. Abraços

    • Renato LS
      | Responder

      Sobram ideias e planos… só falta o tal do tempo. 🙂 😀

  6. Joel Moreira Santos
    | Responder

    Quanto custa essa maravilha??

Deixe uma resposta