DAD OS1 – Um subwoofer de 18″

DAD OS1 – Um subwoofer de 18″

with Nenhum Comentário

Nada costuma ser mais divertido que poder brincar com subgraves e tinha tempo que não fazia isso. O subwoofer tem como destino uma igreja de pequeno/médio porte e servirá de suporte em graves para um conjunto de Line Array que desenvolvi e que pode ser visto no link abaixo.

DAD VOX – Uma pequena e poderosa line array

 

Para deixar a coisa mais promissora, estarei utilizando um belíssimo alto-falante de 18″ da JBL, o modelo 2241H. Olhar as especificações desse danado, é como gostar de carros e estar diante de uma reluzente BMW ou Mercedes Bens. Tudo é muito bom e de quebra, ainda conseguem uma sensibilidade altíssima e nem estou falando da capacidade incrível de subir até uns 800hz com extrema qualidade. Enfim, isso é um alto-falante de verdade, podem acreditar.

Depois de muito simular, pensar e decidir, chegou a hora de brincar no 3D, gabinete de graves não pode ser leve ou mal travado, que seja então da melhor forma.. 🙂 😀

Como a ideia está formada e o projeto feito, chegou hora de transformar 3D virtual em 3D de verdade e lógico, estar sempre resignado para lidar com algo tão pequeno e muito leve. 🙂

Com ele já montado, comecei a tarefa de medir e tentar entender onde estava pisando. Os gráficos mostrarão o caminho e acho que acertei a mão, em cheio. 🙂

Medição do duto, um ganho bem significativo na casa dos 20/30hz o que de certa forma não é nada comum para esse tipo de aplicação.

Nesse gráfico, nota-se claramente o ganho gerado pelo duto (linha amarela) em conjunto com a resposta pura do alto-falante (linha verde) no gabinete.

 

A curva de impedância ficou absurdamente maravilhosa, como disse o mestre “Jedi do áudio” Mr. Walter Ullmman, eu consegui um alinhamento maximalmente plano,  BUTTERWORH Q=0.707!




Eu não queria um visual meramente de PA, pois seria para uma igreja, em um ambiente protegido e controlado. Também não queria um visual meramente residencial. Como eu havia feito um monitor de palco com um visual muito interessante.

Tendo isso como referência, decidi aplicar no pequeno monstro e ao final, dei por encerrado essa jornada de forma muito gratificante. A performance ficou arrebatadora e o conjunto instalado na igreja um verdadeiro show. Por conta do peso, ainda fico devendo fotos melhores do produto final, mas mesmo assim, dá  para ter uma ideia preciosa do resultado.

 

Se gostou, compartilhe.. 🙂

Deixe uma resposta