DAD RicHorn – Uma caixa com corneta de madeira
with Nenhum comentário

Os malucos

Eu nunca descobri ao certo se os malucos que me acham ou o inverso, mas não se preocupem pois vão entender isso daqui a pouco. Considere também que o fato de você estar aqui e gostando pode ser um indicativo e tanto… rsrsrsrs

A ideia era simples, fazer apenas uma caixa de duas vias padrão vintage, usando  um driver de compressão da JBL  e um woofer da Wharfedale, ambos belíssimos componentes de uma época mágica que não existe mais. Apenas isso!

O Lixo

Mas o driver deveria ter uma corneta.. e aí vem a ideia de fazer a corneta em madeira ou melhor, com madeira reaproveitada de demolição doada pelo futuro dono da caixa…. putz, estava muito bom para ser verdade.

Muita madeira, cuidado com pregos e parafusos, geração de serragens e a jornada é inciada..

O rascunho e início da execução

Um rascunho no 3D, outro rascunho na madeira e a jornada arriscada tem o seu início…

Primeiro juntando pedaços com muitos sargentos, cortando já próximo do formato com alguma sobra e gerando um lixo (do lixo…) lindíssimo.

Pedir ajuda divina, planejar muito bem o corte/usinagem e deixar horas nessa diversão.

Ainda tem um longo caminho, mas confesso que estou animado para que possa ter algo muito interessante e inusitado como resultado…

A jornada continua…

Complicado foi bolar uma estrutura para ser viável o encaixe e fixação do driver que pesa umas 20 toneladas na corneta, mas ao final, até que deu certo…

Com ela montada, não resisti em colocar de qualquer forma no gabinete e ter uma visão clara dessa loucura… sinceramente, ainda não sei o que falar.. rs

Como ficou…

Momento de iniciar o acabamento final da corneta, basicamente muita lixa, polimento, carinho e alguns tapas. 🙂

Roupa de gala

Por falar em visual, a caixa foi laminada em Marfim com uma folha lindíssima. Mas por ser clara havia uma falta de identidade com a corneta, essa por ser mista mas não ter praticamente nenhuma madeira tão clara quanto o laminado. A solução foi  criar alguns referencias externos para que pudessem conversar… fiz então uma tela preta, uma base preta e por fim, dei  uma bela escurecida no driver. Criando elementos escuros por todo o projeto… acho que deu certo.

 

Agora virá a parte séria, virão as medições e projeto de crossover, mas ao menos já tenho uma noção do que está nascendo e até que gostei bastante.

 

PROJETO EM ANDAMENTO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *